Sugestão do dia: Saxon, Power & the Glory.

As noticias continuam não sendo aquelas que queremos ouvir, mas como sabemos o pior ainda está por chegar. Só nos resta seguir fortes, mantendo a esperança que vamos superar esse terrível período juntos e com cada um fazendo a sua parte. Tem idoso na família? Cuide, procure ficar atento, ainda mais agora. Certa vez um amigo de longa data, um ótimo geriatra, me disse: ‘O idoso é uma caixinha de surpresas. Eles precisam de muita atenção’. E nesse momento eles precisam de nós mais do que nunca. Faça a sua parte.

Bom, agora vamos falar de música. Como eu disse anteriormente, a ideia aqui é propor alguma coisa para que você ocupe um tempinho do seu dia conhecendo algumas curiosidades e o mais importante, preenchendo um pedaço do seu tempo com uma boa dose de música pesada. E a dica de hoje é o álbum do Saxon, “Power & the Glory”, que faz aniversário hoje.

Power & the Glory” é o quinto álbum de estúdio dos britânicos e um dos seus mais pesados, com a banda apostando mais na linha pesada do heavy metal, apesar de ser um dos grupos mais importantes da NWOBHM.

O disco alcançou o 15º lugar na parada geral de álbuns do Reino Unido. Já o sucesso dentre as paradas especializadas em música pesada europeias, foi muito mais relevante, ao conseguir o primeiro lugar na categoria metal na Suécia, Noruega, França e Alemanha, vendendo mais de 1,5 milhão de cópias em todo o mundo. Muito importante citar que foi o primeiro álbum do Saxon a entrar na Billboard 200 nos EUA, chegando ao 155º lugar.

Em 2005, “Power & the Glory” foi classificado como número 376 no livro da revista francesa Rock Hard, ‘Os 500 Maiores Álbuns de Rock & Metal de Todos os Tempos’.

A música tema possui um clipe que foi repetido por muitas vezes nos programas de TV da época como o Realce, da TV Gazeta (SP). Isso ajudou a banda a se tornar muito popular entre os headbangers brazucas, além dos lançamentos por parte da gravadora RGE quase sem atrasos, em relação ao exterior, das edições nacionais dos LPs do Saxon.

Esse meu vinil em particular é nacional prensado em 1983. Eu consegui o LP em outubro de 84 na loja Musicanto, que ficava na Praça do Patriarca, bem perto do viaduto do chá, em Sampa. O legal desse lugar era justamente não ser uma loja especializada somente em música pesada e sim vários outros estilos também. E por trabalhar no sistema de: ‘Compra, venda e troca ’; possibilitava a oportunidade de se fazer alguns rolos. O meu “Power & the Glory”, por exemplo, é fruto de uma troca com alguns antigos compactos de jovem guarda que estavam mofando em casa. A respeito do negócio, alguma dúvida que eu sai lucrando na transação?

Se você não conhece esse álbum já vou adiantando que se trata de um ‘baita discão’, que além da clássica música homônima, conta com pauladas do calibre de “Warrior“, “This Town Rocks“, “Nightmare” e “The Eagle Has Landed“. Ah… não tem o disco? Sem problemas, o link do You Tube com as músicas estão logo ali no final.

Então já sabe. Volume no 11, fones nos ouvidos – caso seus pais ou avós,  estiverem por perto. Não quer incomoda-los, né? E não se esqueça, cuide bem deles com toda a atenção. Eles precisam.

Dados:

Lançamento: 21 de março de 1983.

Selo: Carrere (RU); RGE (Brasil).

Produção: Jeff Glixman.

Singles:

Power and the Glory / See the Light Shining” em abril de 1983;

“Nightmare / Midas Touch“, em julho de 1983.

Músicos:

Biff Byford – vocais

Graham Oliver – guitarra

Paul Quinn – guitarra

Steve Dawson – baixo

Nigel Glockler – batera

Lado A:

1.Power and the Glory  

2.Redline

3.Warrior

4.Nightmare

Lado B:

1.This Town Rocks

2.Watching the Sky

3.Midas Touch

4.The Eagle Has Landed