Pode usar bermudão em um show de thrash? Claro que sim.

Outra semana esta passando com as mesmas dificuldades, que infelizmente estamos quase que encarando como se fosse uma situação corriqueira. Mas isso vai passar e é o desejo de toda a nossa equipe, que você e seus familiares continuem bem. Para quem vive no meio do entretenimento as coisas não estão nada fáceis. Por isso, se tiver condições, é lógico, apoie uma banda que você curte. Comprar um CD ou uma camiseta que seja, pois isso vai representar muita coisa para esses profissionais nesse momento. Agora, vamos ao disco do dia.

Como vocês já bem sabem, à ideia aqui é propor alguma coisa para que você ocupe um tempinho do seu dia conhecendo algumas curiosidades e o mais importante, preenchendo um pedaço do seu tempo com uma boa dose de música pesada. E a dica de hoje é o álbum do Anthrax, State of Euphoria.

State of Euphoria” é o quarto álbum de estúdio da banda americana de thrash metal Anthrax e foi lançado em 19 de setembro de 1988 pela Megaforce / Island Records. Apesar da ótima qualidade musical, o disco frustrou os críticos e uma parcela dos fãs, que esperavam um disco a altura do clássico “Among the Living”.

O investimento no trabalho foi alto, com dois singles sendo lançados, “Make Me Laugh” e “Antisocial” e dois clipes “Who Cares Wins” e outra vez, “Antisocial” – que é um cover da banda francesa Trust. Anúncios de página inteira foram publicados nas principais revistas especializadas de metal do mundo – inclusive aqui via Rock Brigade – e uma longa turnê de divulgação, com direito ao encaixe na parte europeia do festival Monsters of Rock, ao lado de nomes de peso como Kiss e Iron Maiden. O Anthrax ainda serviu de open-act para Ozzy Osbourne em sua turnê do LP “No Rest for the Wicked” nos Estados Unidos e alguns shows do Metallica no início da ‘Damaged Justice Tour’. O resultado se traduziu com o disco alcançando o Nº 30 na parada da Billboard 200 no final de 1988. As vendas superaram as 750 mil cópias em todo mundo e foi certificado com o disco de ouro nos EUA em oito de fevereiro de 1989.

Embora neste álbum estejam algumas das músicas mais conhecidas do Anthrax, como “Antisocial“, ” Now It’s Dark ” e “Be All, End All“, a recepção em geral foi fraca, por que as expectativas, comerciais principalmente, estabelecidas pela banda ficaram a quem dos lançamentos anteriores, “Spreading the Disease”, “Among the Living” e até o EP “ I’m the Man”. Lembro-me de assistir uma entrevista com Joey Belladonna e ele não conseguia esconder a frustração em relação a pouca divulgação que o clipe de “Who Cares Wins” recebeu por parte da MTV americana. O vídeo de “Who Cares Wins” retratava a situação difícil dos sem-teto na cidade de Nova York, um tema social importante, mas o canal ignorou a causa e limitou-se a escalar o clipe por poucas vezes apenas no programa especializado em música pesada da emissora, o Headbangers Balls.

O Anthrax continuou em turnê em 1989, fazendo seis shows no Reino Unido com o Living Colour em março, e foi atração principal do Headbangers Ball Tour com o apoio das bandas Helloween e Exodus, entre abril e maio, isso nos EUA. Após essa turnê, o Anthrax retornou para a Europa fazendo uma série de shows e tendo como suporte as bandas Suicidal Tendencies, o King’s X e M.O.D., entre junho e julho de 1989.

Trabalho não faltou para os thrashers de bermudão, mas infelizmente o Brasil ainda não fazia parte das rotas dos shows das bandas naquela época. Mas “State of Euphoria” foi lançado aqui com direito a envelope interno e ótima qualidade tanto no material do vinil, como na impressão da capa. Minha bolacha foi comprada na loja Devil Discos, na galeria do rock, em 13 de maio de 1989. E pouco mais de seis meses depois, aproveitando uma ótima oportunidade, adquiri também a versão em CD do álbum – que naquele tempo, para evitar roubos, as embalagens acrílicas eram acondicionadas em uma caixa de papelão retangular. Já os clipes só foram veiculados na nossa TV com a chegada da MTV Brasil em 1990 no programa Furia Metal.

Sou suspeito para falar desses caras, pois o Anthrax esteve entre minhas bandas favoritas por um longo tempo e eu gosto muito desse disco. Fazer uma comparação com o excelente “Among the Living” é uma coisa muito cruel, pois ali eles tinham acertado em tudo e repetir o mesmo sucesso era mesmo uma coisa muito improvável. Mas, era o que eu, e todos os outros fãs da banda naquela época, esperava que fosse acontecer.

Pode confiar que o disco é muito bom. Abra os links, que como de costume, estão no final da matéria, ou de preferência coloque seu CD, LP, K7 ou MP3 com o volume no 11. Vale dar mosh no sofá, gritar NOT pros vizinhos e não se esqueça de usar aquele bermudão colorido, pois quando se trata de Anthrax, o thrash metal é diversão garantida.

Dados:

Lançamento: 19 de setembro de 1988.

Selo: WEA (Brasil); Megaforce/ Island (EUA/ Worldwide).

Produção: Anthrax e Mark Dodson

Singles:

Make Me Laugh“, em 2 outubro de 1988;

Antisocial“, em 6 de março de 1989.

Certificações:

– No EUA, disco de Ouro (+ 500.000);

– No Canadá, disco de Ouro (+ 50.000);

– No Reino Unido, disco de Prata (+60.000).

Lado A:

1.”Be All, End All”           

2.”Out of Sight, Out of Mind

3.”Make Me Laugh”       

4.”Antisocial” (Trust cover)    

5.”Who Cares Wins”      

Lado B:

1.”Now It’s Dark

2.”Schism” 

3.”Misery Loves Company”     

4.”13” (Instrumental)     

5.”Finale

Anthrax:

Joey Belladonna – Vocal

Scott Ian – Guitarra

Dan Spitz – Guitarra

Frank Bello – Baixo

Charlie Benante – Bateria