Led Zeppelin? Nãooooo.

Durante esses dias complicados que estamos vivendo, é absolutamente normal que as pessoas estejam reagindo de formas diferentes. E por isso é preciso ter um pouco mais atenção, sensibilidade. Pode ser que um amigo, um parente, um vizinho conhecido ou até aquele outro que você nem troca duas palavras no elevador, necessite de sua ajuda. Fique atento, percebendo algo telefone, pergunte se esta tudo bem, se coloque a disposição para ajudar. Já que temos que passar por essa provação, vamos nos ajudar. E agora, tempo para falar de música.

Como vocês já sabem, à ideia aqui é propor alguma coisa para que você ocupe um tempinho do seu dia conhecendo algumas curiosidades e o mais importante, preenchendo um pedaço do seu tempo com uma boa dose de música pesada. E a dica de hoje é o primeiro álbum do Kingdom Come, que leva o nome da banda e completou 32 anos de seu lançamento no último dia 29 de fevereiro.

A banda Kingdom Come foi criada pelo cantor Lenny Wolf logo após o término do seu projeto anterior, o Stone Fury, um grupo que moderadamente até que foi bem sucedido. Wolf fez questão de que esse primeiro trabalho  do Kingdom Come fosse homônimo, sem um título em especial.

 A banda lançou seu primeiro LP em fevereiro de 1988. O primeiro single, “Get It On“, foi lançado no começo de Janeiro e obteve um grande sucesso nas estações de rádio americanas especializadas em Hard e AOR, tanto que o disco em menos de um mês alcançou a marca de 610.000 unidades vendidas, recebendo o disco de ouro. Varias dessas rádios nos primeiros dias apenas colocavam a música para rolar na programação e não falavam o nome da banda. Foi uma estratégia de marketing. Por causa das semelhanças do tom da voz de Lenny Wolf e das características do som da banda, muitos ouvintes acabavam ligando para as emissoras, para descobrir se era mesmo uma volta do Led Zeppelin. Essa forma de promoção rendeu muita audiência, mas irritou Jimmy Page que disse na época que confundir ‘aquela‘ banda com o Led só poderia ser coisa de surdos. Para por mais fogo no assunto, o vocalista Lenny Wolf em uma entrevista à revista Kerrang!, alegou nunca ter ouvido falar do Led Zeppelin. Wolf afirmou que as maiores influências dele e do Kingdom Come foram Beatles e AC / DC, particularmente a fase Bon Scott. Que cara de pau.

Polêmicas a parte, para ser o segundo single (e clipe) escolheram a poderosa balada “What Love Can Be“, que foi outro grande sucesso nas rádios e na MTV dos EUA. Com tanta divulgação o Kingdom Come foi escolhido para abrir a turnê norte-americana Monsters of Rock de 1988, se juntando as bandas Dokken, Scorpions, Metallica e Van Halen. Depois disso, eles foram convocados para abrir os shows dos Scorpions na turnê norte-americana do disco “Savage Amusement“. A essa altura um novo single e clipe, dessa vez para a faixa “Loving You“, foram lançados, enquanto o LP alcançava o status de platina, com mais de um milhão de cópias vendidas, isso só nos Estados Unidos. O álbum alcançou o expressivo número 12 na parada Billboard 200.

 

Em 1989, o Kingdom Come lançou seu segundo trabalho, chamado “In Your Face”, que vendeu aproximadamente 486.000 copias, e portanto não conseguido repetir o sucesso do LP anterior e alcançar um novo disco de ouro.

Lembro-me que a 97FM, radio rock de Santo André muito conhecida na época, fez a mesma coisa que as suas coirmãs americanas em relação à música “Get It On” – colocar para tocar e não falar o nome. Teve gente que achou mesmo que se tratava de uma reunião do Led, até por que os três clipes lançados para promover o disco só chegaram por aqui em 1991 com a MTV Brasil. Por assistir aos clipes e ler a respeito da banda, que me animei em comprar uma cópia. E a oportunidade veio em setembro de 91 durante uma manhã de ‘garimpagem de discos’, quando encontrei o LP em bom estado e ótimo preço na loja Aqualung, na Galeria do Rock. Além das já conhecidas músicas dos clipes, eu gostei do ‘hardão’ “Now Forever After” e chamou-me a atenção uma semelhança entre a faixa “Shout It Out” e a música do Def Leppard, “Another Hit and Run”.

Mesmo não sendo muito original, o disco é bom, com uma banda composta por ótimos músicos, entre eles o ‘batera mão pesadaJames Kottak, que passou um bom tempo integrando o Scorpions. Os links para as músicas – e os clipes – estão à disposição logo mais abaixo como de costume. Volume no 11, se cuidem e cuidem das pessoas próximas de vocês também. Até a próxima sugestão.

Dados:

Lançamento: 29 de fevereiro de 1988 .

Selo: Polydor (Eua); Polygram(Brasil).

Produção: Bob Rock e Lenny Wolf.

Singles:

 “Get It On” “, em janeiro de 1988.

What Love Can Be“, em maio de 1988.

Loving You“, em setembro de 1988.

Certificações:

– No EUA, Platina (+ 1.000.000) em setembro de 1988.

Músicos:

Lenny Wolf – Vocais

Danny Stag – Guitarra

Rick Steier – Guitarra

Johnny B. Frank – Baixo

James Kottak – Batera