Bem antes dos tempos de Megadeth.

Eu garanto que pelo menos uma vez durante esses dias de confinamento você leu ou escutou a frase: ‘estamos todos no mesmo barco’. Bem, eu só vou concordar com essas palavras, quando todos os políticos estiverem na mesma situação da maioria das pessoas e tiverem seus (inúmeros) benefícios também diminuídos. Aguentem firmes, temos que continuar acreditando que isso vai passar. Eu estou fazendo o mesmo aqui. Agora, vamos falar de música.

Como já é de praxe, à ideia aqui é propor alguma coisa para que você ocupe um tempinho do seu dia conhecendo algumas curiosidades e o mais importante, preenchendo um pedaço do seu tempo com uma boa dose de música pesada. E a dica de hoje vem com o virtuoso guitarrista Marty Friedman e seu primeiro disco solo, Dragon’s Kiss.

Eu sei que você deve conhecer esse nome por causa da sua passagem de quase 10 anos na banda de Dave Mustaine. Mas hoje vamos falar a respeito do motivo dele ter conseguido o emprego no Megadeth.

Dragon’s Kiss” é o primeiro álbum de estúdio do guitarrista Marty Friedman, lançado em oito de agosto de 1988 através do selo Shrapnel Records. Essa mesma gravadora é a responsável pelos lançamentos dos dois discos da banda Cacophony, um projeto de Marty e seu amigo, o também guitarrista, Jason Becker (hoje portador de Esclerose lateral amiotrófica). O primeiro álbum da dupla chamado “Speed Metal Symphony “ (1987) foi aclamado pela crítica e principalmente pelo público mais jovem. No ano seguinte, já com status de banda eles viriam a lançar o segundo trabalho, “Go Off!” e foi nesse meio tempo que tanto Friedman como Becker, lançaram seus primeiros LPs solos. O Cacophony se dissolveu em 1989, quando os jovens prodígios seguiram caminhos separados, com Marty ingressando no Megadeth e Becker na banda do ex-Van Halen, David Lee Roth.

É preciso salientar principalmente para os que não viveram aqueles dias, que desde o primeiro disco solo de Yngwie Malmsteen nos meados dos anos 80, a guitarra ganhou muito destaque e o surgimento de nomes como Steve Vai e Joe Satriani, reforçaram ainda mais esse espaço. Vários outros guitarristas virtuosos lançaram discos instrumentais com uma clara ênfase, é lógico, no instrumento das seis – ou sete – cordas, entre eles Tony MacAlpine, Vinnie Moore e Greg Howe. E mesmo com tantos nomes de talento contemporâneos, a dupla Friedman e Becker se consagrou como uma das mais proficientes do gênero, conquistando o respeito de seus companheiros de instrumento e sendo até hoje uma referência no estilo shred.

Shred ou Shredding é um termo utilizado para o estilo de tocar guitarra dando ênfase à velocidade, técnica, criatividade e à experimentação sonora. Consiste, principalmente, no uso constante das técnicas de fast picking, hammer on/pull off, sweep-picking e tapping. São usadas com o objetivo de aumentar a velocidade ao limite máximo possível.

Dragon’s Kiss” foi gravado no Prairie Sun Recording Studios, Cotati, California, e foi produzido pelo próprio Marty Friedman e por Mike Varney. O álbum, todo instrumental, contou com as participações do baterista Deen Castronovo e do amigo Jason Becker, que colaborou em duas faixas.

No Brasil o LP foi lançado via Estúdio Eldorado, que era representante da Roadrunner Records, selo que lançou o “Dragon’s Kiss” pela Europa. Com boa distribuição era possível encontrar os LPs do catálogo do Estúdio Eldorado em qualquer loja. Tanto que minha cópia eu comprei no Mappin de Santo André-SP em 12 de maio de 1989. Quanto às músicas, se prepare para solos intrincados, rifes pesados e muita, muita técnica. Minhas preferidas, mesmo após mais de trinta anos, continuam sendo “Dragon Mistress”, “Jewel“, “Saturation Point” e “Forbidden City“.

Os que acompanham o nosso ‘sugestão do dia’ já devem ter percebido que falar sobre discos de diferentes estilos, desde que seja do universo da música pesada, está se tornando uma característica. Já falamos de hard, heavy, thrash, AOR, power, grunge e hoje é um dia dedicado a guitarra. Já que estamos (quase) todos de quarentena, nada como tentar agradar a todo mundo. Os links estão lá no final como sempre. Até próxima.

Dados:

Lançamento: 8 de agosto de 1988.

Selo: Shrapnel Records (EUA); Estudio Eldorado (Brasil), Roadrunner Records (Europa).

Produção: Marty Friedman e Mike Varney.

Músicos:

Marty Friedman – Guitarras, Baixo e teclados.

Jason Becker –solos nas faixas “Saturation Point” e “Jewel  

Deen Castronovo – Bateria

Lado A:

1.“Saturation Point” 

2.“Dragon Mistress”      

3.“Evil Thrill”        

4.“Namida (Tears)”

Lado B:

1.“Anvils”   

2.“Jewel”      

3.“Forbidden City”         

4.“Thunder March”