Fechando um ciclo.

Começando outra semana, que pelas circunstâncias, deve ser muito parecida com as mais recentes. Não tem muito o fazer a não ser continuar acreditando que esses dias vão passar e em breve vamos retomar nossas rotinas novamente. Que assim seja. E agora é hora de boa música.

Como eu já disse algumas vezes anteriormente, a ideia aqui é propor uma sugestão para que você ocupe um tempinho do seu dia conhecendo algumas curiosidades e o mais importante, preenchendo um pedaço do seu tempo com uma boa dose de música pesada. E a dica de hoje é o álbum do Savatage, Hall of the Mountain King.

Hall of the Mountain King” é o quarto álbum de estúdio da banda americana de heavy metal Savatage, lançado em 1987 sob a direção do produtor Paul O’Neill. Foi o primeiro LP produzido por O’Neill, que foi designado para a banda após a turnê de “Fight for the Rock”, o disco anterior do grupo.

Este álbum foi uma pequena amostra da exploração do metal progressivo que seria uma característica predominante do Savatage em seus discos no futuro, em sua busca para novas formas de expressão musical. Muitos fãs consideram este álbum o ponto de virada original sua identidade musical, distinguindo entre o antigo som mais calcado no heavy metal e um novo Savatage, mais aberto a novo elementos em sua música.

Não é um álbum conceitual, mas tem um tom sombrio constante e é mais complexo que os trabalhos anteriores, contado com duas faixas inteiramente instrumentais, “Prelude to Madness” e “Last Dawn“. Paul O’Neill foi o responsável por trazer o cantor Ray Gillen (creditado como Ray Gillian) de passagem rápida pelo Black Sabbath, para realizar um dueto vocal no final de “Strange Wings“.

Hall of the Mountain King” foi uma resposta certeira da banda ao mediano “Fight For A Rock”. O Savatage precisava de um registro realmente forte, poderoso e reconhecível. E eles fizeram isso. O álbum é verdadeiramente heavy/power metal no estilo dos dois primeiros registros do Savatage.  Foi também o último disco nesse padrão já que o sucessor, Gutter Ballet”, foi muito mais experimental com pianos e teclados, apesar de ser pesado. Mas o Savatage nunca mais retornou ao heavy metal cru, rápido, desenvolvido e orientado a guitarra. Isso faz desse LP algo muito precioso.

Minha cópia foi comprada na Loja Musicanto, já citada por mim em outras oportunidades. Milagrosamente os quatro discos do Savatage foram lançados por aqui sem muitos atrasos. E também parou por ai, já que em 1989 para se conseguir uma cópia do “Gutter Ballet” só gastando em dólar por um importado. O clipe da faixa “Hall of the Mountain King” só foi veiculado em nosso pais quase quatro anos depois, na então recente MTV Brasil. Por ser distribuído por uma grande gravadora, era possível se encontrar o LP em lojas não especializadas também como muita facilidade. E por falar em divulgação/vendas, “Hall of the Mountain King” alcançou a posição número 116 na parada de álbuns Billboard 200 nos EUA e extra oficialmente, estimasse que tenha vendido mais de 100 mil cópias ao redor do mundo, mas como eu disse, não há uma fonte oficial que confirme esse marca.

Hall of the Mountain King” não é um clássico só do Savatage, mas do heavy metal. É um ótimo disco, criativo, com uma produção acima da média para sua época. Nem pense duas vezes e comece a curtir esse discão. Como de costume os links estão logo abaixo. Até a próxima.

 

 

Dados:

Lançamento: 28 de setembro de 1987.

Selo: Atlantic (EUA); WEA (Brasil).

Produção: Paul O’Neill & Savatage.

Savatage:

Jon Oliva – vocais e piano;

Criss Oliva – guitarra;

Johnny Lee Middleton – baixo;

Steve Wacholz – batera.

Músicos adicionais:

Robert Kinkel – teclados;

Ray Gillen – participação especial nos vocais em “Strange Wings“.

Lado A:

1.”24 Hrs. Ago”    

2.”Beyond the Doors of the Dark

3.”Legions

4.”Strange Wings

 Lado B:

1.“Prelude to Madness” (instrumental)    

2.“Hall of the Mountain King”

3.“The Price You Pay”    

4.“White Witch”

5.“Last Dawn” (instrumental)

6.“Devastation”