Fla Mingo é o projeto solo do músico, cantor e compositor Flaviano André. Originário da Paraíba, suas influências vão de David Bowie e Iggy Pop ao repertório psicodélico e – por que não dizer – romântico de grandes artistas brasileiros. Agora a banda promove seu disco de estreia ‘Esquina’ com show especial em São Paulo, no Sesc Belenzinho, no dia 25 de novembro.

Ingressos à venda nas bilheterias física e digital do Sesc. Mais em:https://www.sescsp.org.br/programacao/fla-mingo

Quando Flaviano André sobe no palco e se torna Fla Mingo, temos a oportunidade de ver sentido e sensibilidade em um encontro perfeito: uma performance explosiva, com os dois pés fincados no glam rock de figurino e maquiagem elaborados, mas sem abandonar a visceralidade do punk, acrescido de linhas melódicas dançantes da disco e refrões que você se pega cantando junto na segunda repetição.

As letras de Fla Mingo, embaladas por sua voz alta e clara, não retratam apenas um universo de plumas e paetês; é a descrição de um mundo doloroso, com esperanças perdidas, corações partidos, não pertencimento e inadequação.

Em 2022, o artista lançou pela Baratos Afins ‘Esquina‘, seu primeiro álbum de canções autorais, trazendo novos trabalhos e releituras de composições de sua antiga banda, a Star61, com quem colecionou ao longo dos anos demos, EPs, videoclipes e participações em importantes eventos e programas de música independente como Festival Mada (RN), Festival Do Sol (RN), Abril Pro Rock (PE), Claro Que É Rock (SP), Virada Cultural (SP), Showlivre (SP), entre outros.

Na atual encarnação, Fla Mingo conta com o apoio dos músicos Pedro Lauletta (bateria e backing vocais), Pedro Zanchetta (guitarra solo), Alexandre Lopes (guitarra e backing vocais) e Rafael Plaza (baixo e backing vocais).

Sobre ‘Esquina’

Esquina‘ é o primeiro álbum do músico, compositor e cantor Flaviano André sob o nome de Fla Mingo. Paraibano radicado na capital paulista desde 2009, Flaviano assume a carreira solo com seu repertório calcado na fase glam rock de David Bowie e letras que dão voz a confissões pessoais e personagens suburbanos como travestis, prostitutas e outras figuras ignotas de João Pessoa (PB) e São Paulo (SP).

Composto por sete faixas, o álbum começa com “Descontrole”, relatando a desilusão do ideal romântico e a superação de amores desencontrados, após a travessia de campos minados e rejeições. Gravada originalmente em 2008 com a banda Star61 no EP Você não Sabe o que Perdeu, desta vez a música ganha uma roupagem mais pungente e sonoridade influenciada pelas guitar bands dos anos 90.

Homem do Espaço” é uma homenagem frenética ao ídolo máximo David Bowie. Além de  citações ao clássico “Space Oddity” em meio a uma parede de efeitos de guitarra, seus versos mostram o papel do artista na revolução pessoal de Flaviano André, “mudando seu quarto, estilo e sendo uma verdadeira escola de arte” para o autor e todos aqueles que se sentem excluídos e diferentes.

Em “Fácil Demais”, Fla Mingo utiliza agudos para implorar o interesse de alguém em uma letra divertida que abusa de duplos sentidos. A melodia, inspirada no brega romântico, surgiu enquanto Flaviano lavava louça na casa dos pais. Seu refrão chiclete casa muito bem com os backing vocals a la Motown feitos pelo baterista Pedro Lauletta e o amigo e músico convidado João Sabino.

A Super Tra” traz uma proposta dançante, combinando rock com um baixo de disco soul que não deve em nada aos melhores arranjos do Blondie e Chic. A letra foi inspirada por uma trans vestida como Julia Roberts no filme Uma Linda Mulher, avistada por Flaviano em um carrinho de churrasquinho em uma avenida em João Pessoa. Por trás do deboche lírico, “A Supertra” questiona a binaridade de gênero de forma divertida mas com cunho social, ao retratar a travesti como uma super-heroína que passa por agruras diariamente e ganha a vida nas ruas à noite.

Um “oxe” em tom alto introduz “Los Amigos”, mostrando que Fla sabe bem de onde veio e está pronto para mostrar que o mundo inteiro lhe pertence. Ao versar sobre experiências em boates underground do centro histórico de sua cidade-natal, sem dinheiro algum no bolso e esperar o amanhecer para seguir até a lagoa no parque da cidade, a faixa mais porrada do álbum também traz a influência de Pixies, em uma composição com poucos acordes, misturando punk rock com flamenco e um momento noise.

Pensar É Perigoso” é a composição mais recente do disco, com instrumental e melodia criados em um ensaio por toda a banda e que ganhou letra com cunho político e social. Abordando temas como diferenças e hipervigilância, Fla Mingo critica valores conservadores e verdades absolutas, fazendo da faixa um discurso escarrado para gritar às pessoas que estavam cegas com o governo no Brasil, incluindo referências aos livros “1984” de George Orwell (Guerra é paz / liberdade é escravidão / ignorância é força”) e “O Menino do Dedo Verde” de Maurice Druon.

Como uma despedida enérgica, “Tanto Faz” encerra o registro com um tom garageiro que remete tanto às influências inglesas dos anos 60 quanto da nossa Jovem Guarda. Na letra, encontramos um personagem que se recusa a fazer parte de um jogo amoroso platônico onde ninguém ganha.

Fla Mingo é para ouvir com atenção, viajando nas camadas da letra e da voz de Flaviano André, mas principalmente para experimentar sensorialmente, vendo e ouvindo num belo show de inferninho. Ou nas esquinas por aí.

Ficha Técnica
Fla Mingo – Esquina
Gravado e mixado em 2019 por Caio José no Flap Estúdios em São Paulo (SP).

Flaviano André – vocais, backing vocais
Pedro Lauletta – bateria, backing vocais, percussão
Pedro Zanchetta – guitarra
Alexandre Lopes – guitarra
Saulo Raphael – baixo

Músicos adicionais
João Sabino – backing vocais

Serviço
Fla Mingo no Sesc Belenzinho
Quando: 25/11
Hora: 20h30
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000 – Belenzinho
Mais em www.sescsp.org.br/programacao/fla-mingo