Uma compilação eclética, como a banda.

Incrível pensar que o primeiro CD do Therion, “Of Darkness…” foi lançado no distante ano de 1991. E durante essas praticamente três décadas, a banda cresceu criando uma identidade própria e lançando excelentes álbuns. E nesse meio tempo, fossem nas apresentações ao vivo, em discos tributos ou como algum bônus, fizeram leituras muito peculiares de músicas de outras bandas.

E para a sorte daquele fã que gostaria de ter boa parte desse material em um único registro, o boss, Christofer Johnsson decidiu anunciar via internet o lançamento desta compilação através de streaming. O álbum que é composto exclusivamente por covers, são versões que correspondem ao período entre 1993 e 2007.

Como o espaço de tempo selecionado para a escolha das faixas é bem abrangente, é óbvio que a qualidade do som também varia muito. Mas nada que desestimule a dar uma boa conferida. Começando pelas três que foram capturadas em shows: “Revelations” do Iron Maiden em 2001; “Iron Fist” do Motörhead em 2004 e “Black Funeral” do Mercyful Fate em 2007 com a participação pra lá de especial de Messiah Marcolin, a voz clássica do grande Candlemass. Todas as três com performances arrasadoras de mr.  Johnsson e companhia.

Entre as que eu menos achei chamativas estão às versões de “Southbound” do Thin Lizzy gravada em 2003, que não ficou muito aquém da original e “Witching Hour” do Venom, de 1993, que não tem a intensidade e força necessária. Ficou diferente.

Agora vamos citar as que realmente, ao lado das já citadas lives, fazem valer a pena o investimento. A começar pela faixa que abre o álbum, “Fight Fire with Fire” do Metallica. Pesada, rápida, e com a assinatura do Therion de 2002. A bela “Crying Days” não é das mais conhecidas do Scorpions, mas trabalho realizado pelos coros deu uma identidade única para a música, que eu acredito que tenha causado orgulho para os veteranos alemães.

Ao regravar em 2004 o clássico “Green Manalishi”, o Therion apresentou para uma boa parte do seu público a banda Fleetwood Mac. A música é conhecida por 98% dos fãs de heavy metal como sendo do Judas Priest e é nessa versão que o Therion se inspirou. Já “The King” do Accept ficou maravilhosa como a original. Se você é daqueles que pensam que o UDO não sabe cantar baladas com o vocal limpo, então você precisa ir conhecer melhor o trabalho da banda germânica. E pra fechar, talvez a cover mais conhecida já gravada pelo Therion, “Summernight City” do ABBA. Essa versão caiu tanto no agrado dos fãs que possui um vídeo clipe, fez parte de vários setlists em tours e foi imortalizada com uma versão no álbum ao vivo “Live in Midgard” de 2002.

Particularmente senti a falta de duas músicas que foram ‘coverizadas’ (SIC) pelo Therion e que poderiam estar ao lado dessas escolhidas: “Seawings”, que é outra balada do Accept, e também está presente no ao vivo “Live in Midgard”; e o clássico do Manowar, “Thor (The Powerhead)”, que a banda tocava em seus shows e faz parte – assim como “Seawings” – do álbum “Crowning of Atlantis” de 1999. Mas quem sabe ficaram para um possível volume 2, pois o Therion ainda possui varias outras covers gravadas, que também ficaram de fora desse álbum.

Ficou bem claro que desde a sua criação, o Therion se caracteriza por fazer covers muito boas e criativas. Confira você também.

Nota: 4/5

Tracklist:

  1. Fight Fire with Fire (2002) (Metallica cover)
  2. Summernight City (2001) (ABBA cover)
  3. Crying Days (2000) (Scorpions cover)
  4. The King (1998) (Accept cover)
  5. Witching Hour (1993) (Venom cover)
  6. Southbound (2003) (Thin Lizzy cover)
  7. Green Manalishi (2004) (Fleetwood Mac cover)
  8. Revelations (Live 2001) (Iron Maiden cover)
  9. Iron Fist (Live 2004) (Motörhead cover)
  10. Black Funeral (feat. Messiah Marcolin) (Live 2007) (Mercyful Fate cover)