Um clássico.

Continuamos comemorando o mês do Dia Mundial do Rock, e mais uma vez, vamos conferir outro clássico absoluto aqui no nosso espaço. Importante reforçar, que a ideia aqui é propor uma sugestão para que você ocupe um tempinho do seu dia conhecendo algumas curiosidades e o mais importante, preenchendo um pedaço do seu tempo com uma boa dose de música pesada. E o clássico de hoje é o álbum do Deep Purple, Fireball.

Fireball” é o quinto álbum da banda de hard rock inglesa Deep Purple e foi lançado em 9 de julho de 1971. Foi gravado durante vários momentos e lugares entre setembro de 1970 e junho de 1971, com produção da própria banda e a ajuda do produtor Martin Birch como engenheiro de som. O álbum, o segundo da fase conhecida como Mk II, repetiu o sucesso do seu antecessor, o LP “In Rock” (1970), alcançando o número 1 da parada UK Albums Chart do Reino Unido.

Além do grande sucesso em sua terra natal, “Fireball” obteve a liderança nas paradas de vários outros países europeus como Bélgica, Dinamarca, Alemanha Ocidental, Suécia, Noruega e Áustria. Na América do Norte, superou seu antecessor “In Rock“, alcançando o número 32 na Billboard 200 americana e o número 24 na parada RPM100 do Canadá.

A tour para promover o disco teve seu início dia 2 de julho de 1971 em St. Lawrence, Toronto, Canadá, com as músicas “Demon’s Eye” e “Strange Kind of Woman” no set e foi encerrada em 12 de março de 1972 em Fairfield Halls, Croydon, Inglaterra. Cinco dias depois o Deep Purple voltaria para a estrada iniciando uma nova tour, dessa vez para o álbum “Machine Head”, em Kansas City, EUA.

A versão original do LP lançada no Reino Unido tinha “Demon’s Eye” como terceira faixa do lado A, mas não incluía “Strange Kind of Woman” no disco, que foi lançado apenas como um single e obteve grande sucesso – o compacto alcançou a 8ª posição no Reino Unido – e é até hoje uma das músicas mais conhecidas da banda. Tanto que paras os lançamentos nos EUA, Canadá e Japão, “Strange Kind of Woman” entrou no lugar da faixa “Demon’s Eye“. “Fireball“, a faixa-título do álbum, também foi lançada como um single e alcançou o número 15 no Reino Unido.

As opiniões dos músicos a respeito desse trabalho são distintas. O cantor Ian Gillan o considera seu favorito, apesar dos demais membros não considerarem “Fireball” nem mesmo um álbum clássico. Principalmente o guitarrista Ritchie Blackmore, que declarou publicamente que não estava muito satisfeito com “Fireball”. Ele disse sobre a produção: “Um completo desastre. Sofremos pressão gerencial, não tivemos um tempo apropriado para ajustar as coisas”. Já o tecladista Jon Lord destacou o bom trabalho do baterista Ian Paice e que gostava das faixas “No No No” e “Fools“, além da faixa título.

No Brasil o Deep Purple também era muito conhecido, assim como Led Zeppelin e o Black Sabbath, e também recebia atenção dos mesmos programas de TV, que citamos em nossas sugestões clássicas nesses dias. A discografia da banda foi relançada várias vezes pela EMI-Odeon. “Fireball” foi lançado aqui com capa dupla e selo da Harvest, como a edição inglesa. Seguindo esse exemplo as matrizes para as cópias foram as da edição inglesa, e com isso, os fãs brasileiros para ter a música “Strange Kind of Woman“, tinham que buscar uma versão americana ou comprar o single inglês, pois aqui “Demon’s Eye” estava no LP. Claro que com o passar dos anos, com as coletâneas, reedições, “best of’s”, etc, esse tipo de problema deixou de existir. O meu LP é uma versão que foi prensada em 1985, com capa dupla, selo Harvest amarelo e mantendo a mesma sequencia inglesa nas faixas. Foi comprado em um sebo em São Bernardo do Campo-SP em julho de 1986.

Fireball” é um clássico por si só, e principalmente por ser o elo de ligação entre outros dois grandes clássicos do Deep Purple: “In Rock” (1970) e “Machine Head” (1972). Os três juntos representam o melhor que a fase Mk II proporcionou. “Fireball” está entre os álbuns favoritos e influenciou músicos como o gênio da guitarra Yngwie Malmsteen, o líder do Metallica, o baterista Lars Ulrich e o cantor King Diamond, segundo eles próprios. Trata-se de um clássico absoluto. Os links estão à disposição, como de costume. Até a próxima com outro clássico.

Dados:

Lançamento: 9 de julho de 1971.

Selo: Harvest (UK); EMI-Odeon (Brasil).

Produção: Deep Purple.

Singles:

  • “Strange Kind of Woman” lançado em fevereiro de 1971;
  • Fireball” lançado em outubro de 1971.

Certificações:

  • EUA: Disco de Ouro  (+500.000);
  • Alemanha: Disco de Ouro (+250.000);
  • Holanda: Disco de Ouro (+50.000);
  • Reino Unido: Disco de Ouro.

Deep Purple:

Ian Gillan – lead vocals

Ritchie Blackmore – rhythm and lead guitars

Jon Lord – keyboards, Hammond organ

Roger Glover – bass guitar

Ian Paice – drums

Lado A

1.”Fireball”       

2.”No No No”   

3.”Demon’s Eye” (“Strange Kind of Woman” Original US/Canadian/Japanese release)

4.”Anyone’s Daughter”     

Lado B

1.”The Mule”    

2.”Fools” 

3.”No One Came