“Diversidade e pluralidade de estilos e de atitudes marca a segunda noite do festival”

Baseado na experiência do Do It Yourself (faça você mesmo), o evento ganhou notoriedade entre os fãs de rock/metal do país por encontrar possibilidades viáveis de realização, criar condições mínimas de auto sustentação e, principalmente, de oferecer estrutura dignas às bandas que anualmente participam do festival. Nesse sentido, já são 21 anos de atividades se reiventando para superar os mais diversos entraves que todos os anos se interpõem à sua realização. O evento, conforme informado pela organização, sempre se diferenciou pela gratuidade, com rara exceção, quando foi cobrado valor simbólico ao público. Mas o que fica é a sensação de que tem algo grande acontecendo e, querendo ou não, o Forcaos é um conjunto de boas práticas que o Ceará compartilha com o resto do país, mostrando que é possível fazer muito com pouco.

IMPRESSÕES SOBRE A SEGUNDA NOITE

Todas as bandas se saíram muito bem dentro de suas propostas e considerando as circunstâncias que cada uma teve pra produzir seus vídeos. Mas claro que houve destaques e eles são lindos:

[CE, 1:53] Hard Rock no melhor estilo Van Halen era Sammy Hagar. Música boa, bem tocada e cheia de energia. Ótima performance pra abrir bem a segunda noite do festival online.

[CE, 13:55]: O Punk Rock clássico é o ponto de partida para a estética do grupo. A banda ofereceu uma mescla de performances realizadas no Rock Cordel CCBNB 2020 e Praça Rogaciano Leite (Passarela do Dragão). Boa apresentação.

[CE, 26:35] Heavy Metal moderno na linha Metal Church. No final de 2019 a banda lançou o excelente The Battle Of The Somme e nos oferece uma boa performance do tipo “cada um no seu quadrado.

[CE, 30:45] Com um full lenght Consumed by Biomechanichs tirado do forno, a banda se mostra pronta para encarar os palcos. Nesta ocasião, direto do estúdio, a banda nos brinda com um Thrash Metal na baseado em Sodom/Exodus.

[CE, 35:56] Com um New Metal autoral a banda nos oferece uma performance realizada para o Canal Show Livre. A música é do grupo é inspirada nos medalhões do estilo como Korn Deftones. Boa apresentação.

[CE, 46:59] Banda de Hardcore melódico. O grupo está promovendo o single O ÓDIO ELEITO e promete mais até o final do ano. Com um posicionamento político contundente, junta sua música ao coro dos social-conscientes. E sendo coerente com seu discurso a banda faz uma performance “cada um no seu quadrado”. Muito boa, por sinal.

[CE, 1:00:03] Hardcore com um pé fincado no Thrash Metal. A banda demonstra muita força na sua música, além da raiva peculiar ao estilo. Nesta ocasião, apresenta um mescla de um show realizado no Jardim do Teatro José de Alencar e no estúdio com Haru Cage da Corja-CE. Muito convincente!

[CE, 1:05:01] A banda se define como fadados ao fracasso social e propõe uma cuspida quase que literal na sociedade opressora juntamente com seus conflitos ideológicos! A verdade é que o grupo tem a pegada e o ódio necessário a toda e qualquer banda do estilo. Aqui, nos brinda com uma performance cheia de raiva direta do estúdio.

[CE, 1:17:22] Se apresenta como uma revelação do Doom, ou como eles preferem, Slow Metal, do estado para o mundo. A banda teve o disco The Universe The Prision lançado no exterior e nos oferece uma apresentação realizada para o Festival da Juventude, de Fortaleza/CE.

[RJ, 1:31:32] Tendo lançado o álbum Reborn (2019), a banda tem trabalhado para ampliar seu alcance na cena do metal extremo do Brasil. E com a presença carismática e os vocais brutais de Angélica, a banda nos oferece uma performance energética direta do estúdio.

[MG, 1:35:13] A banda destaca sua participação numa edição anterior do ForCaos. Atualmente está trabalhando nos retoques finais do seu terceiro álbum, que está programado para ser lançado no segundo trimestre do ano atual, 2020. Para esta edição online do festival, prepararam uma apresentação especial ao vivo no estúdio.

[PE, 1:38:51] A banda destaca suas influências de Kreator, Sepultura, Carcass e Hypocrisy. Em 2020 o grupo se estabiliza como um quarteto para lançar seu terceiro álbum oficial: Subversive Need. Aqui nos brindam com uma excelente performance intitulada com o singelo nome de Lockdown Sessions.

[SP, 1:47:44] O grupo mistura diversas influências , desde o HCNY do Hatebreed até o Metal extremo do Aborted. Sem massagem, sem tempo pra descansar ou pensar no próximo movimento. A idéia é ser rápido, quebrado e brutal. A banda já se apresentou no ForCaos e nesta ocasião, em respeito a pandemia, se apresenta no modo “cada um no seu quadrado”. Apresentação impecável.

[CE, 1:51:01] A música do Corja! veio para quebrar um marasmo que já foi quebrado outras vezes por bandas como Death, Sepultura e Pantera. Ocorre que esse marasmo precisa ser combatido constantemente sob o risco de que as coisas recaiam numa normalidade que só interessa àqueles que não gostam de mudança e para os quais o “normal” satisfaz. De toda forma, o tempo se encarrega de normalizar essas coisas sem que ninguém perceba, por isso é tão importante que surjam bandas com aptidão para provocar rupturas de modo que novas dinâmicas possam ser trazidas à tona.

[CE, 1:58:31] Em 2018, o Siege of Hate (S.O.H.) lançou EP “Cerco de Ódio”. Primeiro registro da banda com músicas em português e aproveitou para fazer uma homenagem ao Metal Extremo nacional com uma versão para o clássico “Believers of Hell“, do Mutilator. O EP foi produzido por Jean Dolabella (Ego Kill Talent e ex-Sepultura) e Moisés Veloso. Nesta ocasião a banda se apresenta no modo “cada um no seu quadrado” com Gabai fazendo as vezes de baterista, guitarrista e vocalista e George Frizzo sendo o baixo dissonante da discórdia. Boa performance!

[PI, 2:13:54] Banda que mesclar agressividade e a harmonia num death metal extremo e dinâmico. Em suas letras, falam da degradação da humanidade, mas não em uma perspectiva niilista e nem misericordiosa. Busca refletir sobre a natureza das ações humanas e de suas consequências para o mundo. A banda nos oferece uma performance altamente agressiva gravada ao vivo no estúdio.

[RN, 2:26:42] Banda de Heavy Metal que tem como influência nomes como Black Sabbath, Kiss, Hellacopters, Motorhead. Respeitando o confinamento, a banda faz uma apresentação no estilo “cada um no seu quadrado” e oferece uma boa performance.

[CE, 2:40:10] Com mais de 30 anos de história, a banda é motivo de orgulho para os headbangers do Ceará e um dos nomes mais atuantes no Brasil. Mesmo tendo uma discografia pequena para sua grandiosidade, a banda é reverenciada pelos maiores nomes do estilo no país. Tem no currículo, um legado de lutas em contra o autoritarismo e a favor do homem como ser humano e social. Nesta edição do ForCaos a banda mostra os clipes das novas versões de The Signing Of Hungry e de Absence of Knowledge, que integram o relançamento do álbum Overcasting (1998). A mensagem que a banda transmite é contundente, mas é valorosa para quem defende a porção humana do homem. Destaque absoluto desta segunda noite!

[SP, 2:51:24] Desalmado toca Grindcore, mas não gosta de rótulos. É fiel apenas ao seu próprio estilo de música e repudia as tendências. Suas letras se posicionam contra os padrões de comportamento impostos pelos que detêm o poder e ditam as regras da sociedade. Aprendi a gostar dessa banda por afinidade de ideais e pela sua postura humana. Desalmado tem muita alma e nesta performance exclusiva para o ForCaos desce o cacete no Estado Inconsciente daquilo que seja uma nação.

VEJA AS PERFORMANCES NA ÍNTEGRA

Instagram

> Post originalmente publicado no blog Esteriltipo.