Um álbum muito singular.

Começando uma nova semana e melhor ainda se for com a boa música pesada em nosso espaço. E sempre é importante reforçar, que a ideia aqui é propor uma sugestão para que você ocupe um tempinho do seu dia conhecendo algumas curiosidades e o mais importante, preenchendo um pedaço do seu tempo com uma boa dose de música pesada. E a dica de hoje é o álbum do Faith No More, The Real Thing.

 “The Real Thing” é o terceiro álbum de estúdio da banda americana de rock alternativo Faith No More, lançado em 20 de junho de 1989 pela gravadora Slash Reprise Records. Certamente é o álbum de maior sucesso da banda até hoje e o primeiro registro com o vocalista Mike Patton. É um disco difícil de classificar dentro de um único estilo, pois as faixas flertam abertamente com o hard, thrash, funk, hip hop, rock progressivo e alternative metal – alcunha essa que se encaixaria muito bem com a proposta do grupo no futuroem uma verdadeira salada mista musical, que conquistou muitos fãs entre o final dos anos 80 e começo dos 90.

Apesar de hoje ser considerado um álbum clássico de música pesada, com créditos entre os fãs e críticos, “The Real Thing” não chamou muito a atenção em 1989. Somente após o lançamento do segundo single, para a música “Epic“, que a coisa realmente decolou com o clipe da faixa tendo muito boa repercussão na MTV americana. Em fevereiro de 1990 “The Real Thing” entrou na parada Billboard 200, e chegaria ao número onze em outubro do mesmo ano. Com boas vendas o disco foi certificado com platina nos EUA, mais de um milhão de cópias vendidas e Canadá, além de receber a certificação de prata no Reino Unido por ultrapassar as 50 mil cópias vendidas. “The Real Thing” foi o ‘album do ano’ na enquete da revista britânica Kerrang! em 1989, a Classic Rock colocou o trabalho na posição número 64 em sua lista “100 Greatest Rock Albums Ever” e a Rolling Stone alemã em seu especial “The 500 Greatest Albums of All Time” nomeou o disco na posição 105.

Para promover o álbum na estrada  o Faith No More abriu shows de bandas de diversos estilos dentro do universo da música pesada como Metallica, Soundgarden, Voivod, Sacred Reich, Forbidden, Primus, Babes em Toyland, Poison e até Billy Idol.

Foram lançados três singles oficiais acompanhados de vídeo clipes para as faixas: “From Out of Nowhere“, “Epic” e “Falling to Pieces“, sendo que os dois últimos citados obtiveram bons resultados ao entrarem na parada de singles Billboard Hot 100 – “Epic” chegou ao Top 10 dessa conceituada lista. Um quarto single para a música “Edge of the World” – que não foi incluída em nossa versão nacional do LP – teve um lançamento super limitado promocional apenas no Brasil, nos formatos CDS e vinil de 12 polegadas, contendo apenas duas faixas para a mesma música. Uma na versão de estúdio normal e a outra ao vivo, retirada do álbum da banda chamado “Live at the Brixton Academy”, que foi lançado em 4 de fevereiro de 1991.

E por falar em Brasil, aqui o Faith No More foi um sucesso completo. Já no final de 1990 com a chegada da MTV ao nosso país, os clipes de “Epic” e “Falling to Pieces” extrapolaram o limite do então programa especializado em música pesada da emissora chamado Furia Metal, e invadiu todos os horários da programação normal, inclusive no caso de “Epic”, certamente trata-se de um dos clipes mais exibidos na estória da emissora que se localizava na capital paulista, pois praticamente passava de hora em hora.

O Faith No More invadiu as rádios rock em suas programações rotineiras e também nos programas exclusivos de heavy music como o Comando Metal na 89FM, que era apresentado pelo grande Walcir da Woodstock Discos desde 1986. As revistas especializadas como a Bizz, divulgavam a banda com boa frequência em suas publicações, principalmente após as apresentações do grupo na segunda edição do Rock in Rio, em janeiro de 1991.

 

The Real Thing” foi lançado no Brasil no final de 1990 via Polygram Discos com encarte interno com as letras e uma boa impressão de capa. Minha cópia foi comprada na clássica loja Baratos Afins, na Galeria do Rock, em 27 de novembro de 1990.

Depois de “The Real Thing” a banda se tornou figurinha carimbada em todos os ramos da mídia musical brazuca, com entrevistas em diversos veículos, clipes sendo sempre bem divulgados, tours incluindo diversas cidades e anúncios promocionais.

Realmente trata-se de um disco singular, que fez muito sucesso na época, chamando a atenção de um público menos radical e também de boa parte dos headbangers, principalmente por causa peso da guitarra de Jim Martin. Tanto que depois que ele saiu da banda, nunca mais foram os mesmos, em minha modesta opinião. Podemos nos valer do sarcasmo natural do Faith No More e dizer que é um dos discos mais importantes dos anos 90, apesar de ter sido lançado em 1989. Os links como de hábito estão à disposição, até a próxima.

Dados:

Lançamento: 20 de junho de 1989.

Selo: Slash Reprise (EUA); Polygram (Brasil).

Produção: Matt Wallace e Faith No More.

Singles:

“From Out of Nowhere” em 30 de agosto de 1989;

“Epic” em 30 de janeiro de 1990;

“Falling to Pieces” em 2 de julho de 1990;

“Edge of the World” em 4 de agosto de 1991 (só no Brasil).

Certificações:

Canadá, disco de Platina (+100.000 cópias)

Reino Unido, disco de Prata (+50.000 cópias)

EUA, disco de platina (+ 1.000.000 cópias)

Faith No More:

Mike Bordin – drums

Roddy Bottum – keyboards

Bill Gould – bass

James Martin – guitars

Mike Patton – vocals

Faixas do LP da versão brasileira:

Lado A

1.”From Out of Nowhere”          

2.”Epic”             

3.”Falling to Pieces”          

4.”Surprise! You’re Dead!”       

5.”Zombie Eaters”              

Lado B

1.”The Real Thing”   

2.”Underwater Love”                  

3.”The Morning After”                

4.”Woodpecker from Mars” (instrumental)